Publicado em 17/11/2016 • 10:10

A cerveja tá no gelo

Contra fatos, não há argumentos: o Brasil é um país quente. E por aqui, é muito comum combater o calor com bons goles de cerveja. Mas sabe de uma coisa? Tomar aquela cerveja estupidamente gelada pode não ser a melhor pedida. Calma, antes que você deixe o copo cair da mão, eu explico: cada tipo de cerveja tem nuances próprias de sabor. Isso significa que, para aproveitar todo o gosto de uma cerveja, você precisa consumi-la na sua temperatura ideal. Claro, em um dia típico de verão, uma longneck bem gelada cai bem. Mas com o crescimento das cervejas artesanais, vale a pena experimentar a recomendação de cada família cervejeira.

Para as cervejas mais comuns do mercado, o ideal é que se consuma entre 0º e 4ºC. São com um nível alcoólico não tão alto (4 a 6%) e cujo objetivo é refrescar.

Já as Pilsens e de trigo claras devem estar entre 4º e 7ºC. O teor alcoólico delas é um pouco maior e a temperatura ajuda a acentuar o sabor.

IPAs, Portes e todas as Lagers têm de ser consumidas pouco geladas: de 7º a 12ºC. Esses tipos de cerveja levam mais lúpulos e apresentam sabores e aromas mais complexos, além de terem a porcentagem de álcool mais elevada.

Cervejas mais escuras, como as Strong Ales, Old Ales e Strong Lagers podem ser tomadas levemente geladas ou até em temperatura de adega. A regra é clara: quanto mais escura for a cerveja, mais elevada vai ser sua temperatura de consumo. Afinal, em temperaturas mais altas, são realçadas as principais características desse tipo de cerveja, como aroma, corpo e sabor.

Ah, e não se esqueça do mais importante: toda cerveja fica melhor depois de um brinde.